30 Minutos ou menos é uma comédia que conta a história de Nick (Jesse Eisenberg), um entregador de pizza que é sequestrado por dois criminosos, Dwayne (Danny McBride) e Travis (Nick Swardson), que amarram uma bomba a ele e o obrigam a roubar um banco. O filme é dirigido por Ruben Fleischer, responsável por Zumbilândia (2009).

A premissa do filme é interessante e cria um senso de urgência na trama. Nick, com a ajuda de seu amigo Chet (Aziz Ansari) precisa correr e organizar um assalto a banco para não explodir. Jesse Eisenberg consegue transmitir esse sentimento com bastante eficiência, seu personagem é acelerado e ansioso. Todo esse clima faz com que o filme pareça ainda mais curto que ele realmente é (possuindo apenas uma hora e vinte de duração).

Infelizmente, a bomba é basicamente o único aspecto do filme que o faz ficar realmente interessante. Os vilões são demasiadamente burros e caricatos, a não ser quando precisam ser inteligentes e projetar uma bomba e armar um plano de ação. O roteiro se move, basicamente, por causa da burrice dos antagonistas, isso fica claro em uma das últimas viradas do filme, no terceiro ato.

Veja Também!  Cinema | Estreias da Semana (12/12)

Na mesma linha, tudo que acontece com os dois protagonistas parece fácil e artificial demais. São poucas as vezes que algo é realmente aprofundado, e quando se tenta, isso se dá através de exposição verbal. Um exemplo disso é a história da amizade entre Nick e Chet, contada através de uma briga em poucos minutos. O romance entre o protagonista e Kate (Dilshad Vadsaria) é fraco e serve somente como artifício de roteiro para um dos conflitos. Isso leva a outra questão do filme, o machismo.

 

As duas únicas personagens mulheres do filme são muito mal desenvolvidas, além de possuírem papéis clássicos de comédias de mal-gosto: a mocinha sequestrada e a prostituta que quer dar um golpe (que obviamente aparece nua). Muitas das piadas corroboram, ainda, para o sexismo do filme, junto a outras piadas preconceituosas que tentam passar despercebidas por saírem da boca dos “antagonistas ignorantes”.

O filme, no geral, é uma comédia padrão e preguiçosa mas que conta com uma boa premissa e protagonistas carismáticos, com destaque para Aziz Ansari, que chama atenção com sua atuação adoravelmente ruim. É uma pena que o mesmo diretor que tenha entregado uma comédia de qualidade como Zumbilândia, tenha encabeçado a produção de um roteiro tão fraco como esse.

 
Veja Também!  Ficha Técnica | Jack Whitehall: Christmas with My Father (Original Netflix)


Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.