A Tartaruga Vermelha (ou como no título original La Tortue rouge) é um longa-metragem de 2016 do famoso estúdio de animação japonês Studio Ghibli. Mesmo sendo um filme da Ghibli, foi realizado e escrito por Michaël Dudok de Wit e Pascale Ferran, fazendo com que fosse uma obra franco-belga-japonesa.

A história é sobre um homem que naufragou em uma ilha deserta. Após muitas tentativas para sair da ilha, ele encontra uma enorme tartaruga vermelha que sempre o impedia de fugir. É um filme universal, não há diálogos e é fácil de se entender.

Enredo

O longa-metragem retrata um homem que sofre um naufrágio e fica preso em uma ilha deserta. Conforme os dias vão passando, ele começa a construir uma jangada para tentar fugir daquele lugar e voltar para a civilização.

A tentativa em abandonar a ilha se torna falha quando uma criatura começa a destruir a jangada toda vez que o homem vai ao mar em busca de deixar a ilha para trás. Após um tempo, descobrimos que a criatura é uma enorme tartaruga vermelha. Mesmo que ela destruísse a jangada, não apresentava nenhuma ameaça ao homem.

O que se sucede depois desses acontecimentos são situações em que, se você nunca assistiu, não é aconselhável saber de antemão algumas informações. Esse é um filme cheio de metáforas, cada minuto e ação são importantes e necessários para se criar uma compreensão maior à mensagem e despertar ao espectador toda uma surpresa através da magia do filme.

Personagens

Como a animação não possui falas, não falaremos sobre o trabalho de dublagem e interpretação, apenas sobre os personagens criados.

A princípio, a história nos apresenta apenas dois personagens: o homem e a tartaruga. A tartaruga é esse animal magnífico e misterioso que aparece apenas nos momentos em que o homem tenta abandonar a ilha. Você não consegue entender muito bem no início, mas é um personagem que faz com que desperte certos sentimentos no humano.

Por ser um filme sem falas, não é possível saber o que o humano está pensando o tempo todo, a história é contada através de suas atitudes. É um personagem que, dada sua situação atual, tem uma grande evolução ao decorrer da história. Ele aprende a lidar com o fato de estar na ilha. Além disso, é um personagem que é extremamente expressivo, a raiva, frustração, a calma, a felicidade e entre outros sentimentos são expressados de forma intensa, o que faz com que o espectador pegue empatia por ele.

Direção e Técnicas de Animação

O realizador holandês Michaël Dudok de Wit trouxe um visual totalmente diferente do esperado para um filme do Studio Ghibli. Os personagens de A Tartaruga Vermelha possuem características mais realísticas ao corpo humano e os olhos enormes foram deixados para trás.

A animação em 2D possui traços finos e todos os animais são desenhados de forma cuidadosa e cheia de detalhes. Porém, o que ainda carrega os aspectos do estúdio japonês são as belíssimas paisagens e um cenário incrivelmente cheio de estética que ganha graça em conjunto com uma trilha sonora.

Esse é um longa-metragem para quem deseja ver um outro lado do Studio Ghibli e quer se impressionar com a obra. Já assistiu à animação? Comente!


Inscreva-se no nosso canal
 
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.