“Bayonetta: Destino Sangrento” é um anime de 2013 inspirado no jogo de 2009 intitulado “Bayonetta”. Ambos apresentam cenas que contém violência, ação e temas como religião.

No jogo de 2009, a história se passa em uma cidade da Europa chamada Vigrid. A Bayonetta é uma bruxa que tem vários poderes mágicos como invocar demônios, feitiços e algumas armas mágicas. Após um longo tempo em um sono profundo, ela desperta e logo depois vai em busca de tentar descobrir mais sobre seu passado. Nessa jornada ela enfrenta inimigos como anjos, religiosos e bestas.

Enredo

A animação não é muito diferente do game. Bayonetta depois de despertar de um longo sono profundo, ela vai em busca de tentar lembrar sobre seu passado e, para isso, a bruxa luta constantemente contra as forças do céu (os Lumen). No filme, há dois lados: os sábios Lumen e as bruxas Umbra.

Veja Também!  Resenha | Aggretsuko - 2ª temporada (Original Netflix)

Durante sua jornada, ela é guiada por um misterioso bartender e forjador de armas chamado Rodin e perseguida por um jornalista que busca entender quem ela é após ver seu pai ser assassinado por Bayonetta quando ainda era criança.

Sendo mais técnica…

Serei sincera em dizer que antes de começar a assistir eu estava receosa e com medo de ser um filme que não fosse me impressionar, mas desde o início a animação apresenta imagens e cenas bem feitas e uma trilha sonora impecável.

“Bayonetta: Destino Sangrento” é um filme que contém muita ação o tempo todo. Desde o começo nos é mostrado cenas de luta e combate e é assim até o final. Essas cenas são muito bem construídas no sentido de que é possível ver os mínimos detalhes dos golpes, os zoom que são dados acontecem em momentos certos durante as batalhas e tudo isso compõe para que as cenas não fiquem estranhas. Em suma, não nos dá uma sensação esquisita em assistir (o que, geralmente, pode ser um sentimento comum quando a cena é construída de um jeito sem harmonia).

Veja Também!  K-POP | 10 MVs inspirados em filmes famosos

A trilha sonora é esplêndida no sentido que as músicas usadas têm como finalidade ajudar a transmitir certos sentimentos para quem está assistindo. Primeiro que grande parte da trilha sonora parece remeter a músicas religiosas e isso é um grande ponto positivo, já que entra dentro da temática da animação. Segundo que, dependendo do momento, a música fica mais tensa, mais sombria, mais estérica em cenas de mais ação e assim por diante.

Impressões

Senti o filme, talvez, um pouco “apressado”. Há muita ação e várias coisas acontecendo rapidamente e quase que o filme inteiro é apenas batalha e luta.

O filme é classificado para maiores de 16 anos por conter violência e nudez, mas aqui vai um spoiler: Bayonetta aparece completamente ou quase nua a maioria das vezes. Ela é uma personagem extremamente sensual e provocativa, mas essa coisa de sexualizar o corpo da mulher de forma exacerbada é algo que me incomoda um pouco. Mas esse assunto sobre a sexualização das mulheres em animes é algo que gera grande debate.

Veja Também!  Resenha | Aggretsuko - 1ª temporada (Original Netflix)

Ademais, outra crítica é que nossa protagonista é uma personagem overpower, ou seja, ela é extremamente forte e nada consegue detê-la. Nas cenas de batalha a bruxa nunca é acertada pelo seu inimigo ou machucada e ela sempre consegue destruí-los. Talvez, para quem não curte muito personagens que não mostram sua fraqueza, esse pode ser um ponto negativo na narrativa.

O filme está no catálogo da Netflix e sua duração é de 1 hora e 30 minutos. Você já assistiu ou jogou o game? Conte-nos!

 

Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.