O que é família? Um DNA compartilhado faz uma coleção de pessoas parentes umas com as outras? E se nossas experiências passadas são o que nos fazem quem somos, então quem somos nós quando o passado que pensávamos saber não é exatamente verdade? Estas são apenas algumas das questões existenciais levantadas na nova série da Netflix Black Earth Rising.

Michaela Coel é estrela neste drama pesado. Ela interpreta Kate Ashby, uma investigadora de sucesso ainda em recuperação depois de uma tentativa de suicídio falhada algum tempo antes.

Confira Também! Ficha Técnica | Black Earth Rising (Original Netflix)

Mas a tentativa de suicídio é apenas a manifestação de uma vida inteira de trauma. Kate é na verdade uma nativa de Rawandan que foi adotada por Eve Ashby (Harriet Walter), uma promotora britânica branca, depois de ser resgatada durante o genocídio de 1994 da população tutsi de Rawanda.

Veja Também!  Resenha | Um Trapaceiro do Bem (Original Netflix)

Agora, uma investigadora adulta que trabalha em um escritório de advocacia, Kate não sabe muito sobre suas origens, incluindo seu nome de nascimento. No entanto, as cicatrizes físicas e mentais severas a assombram como lembretes diários do que ela sobreviveu.

Apesar de Kate e sua mãe estarem próximas, o relacionamento delas é empurrado para os limites. Isso acontece quando Eve é chamada para processar um senhor da guerra que supostamente forçou crianças-soldados a combater enquanto estavam na República Democrática do Congo.

Black Earth Rising trás gatilhos não recomendados a pessoas sensíveis

Mas qual é o problema disso? O problema é que ele é o mesmo senhor da guerra cujo exército pôs fim ao genocídio dos tutsis que matou a família de Kate. A princípio, parece que a história que estamos assistindo em Black Earth Rising é sobre como uma mãe e uma filha superam um desafio tão insuperável. No entanto, isso nem sequer começa a arranhar a superfície. Por baixo está um mistério mais rico e sombrio que Kate vai arriscar a vida para descobrir.

Veja Também!  Resenha | Joy (Original Netflix)

Eventos dramáticos no segundo episódio da série lançam tudo o que pensamos que sabíamos sobre a premissa. Os personagens são colocados em completa desordem. O que antes era uma história nítida de mãe e filha se expande rapidamente em uma profunda análise de uma brutal guerra civil. Uma análise franca dos efeitos do colonialismo branco no continente africano.

Uma análise sobre o direito de predominantemente os países brancos sujeitarem os africanos a leis internacionais elaboradas após séculos de colonialismo. Uma análise sobre a discussão de como nossos passados ​​nos definem ou não. Cada um desses tópicos é explorado com honestidade. E isso tudo acontece enquanto Kate rastreia lentamente a verdade por trás de um escândalo internacional. Escândalo este que poderia ter implicações globais.

Veja Também!  Resenha | Sneakerheads - 1ª Temporada (Original Netflix)

Black Earth Rising só tem uma desvantagem: seu ritmo lento. No mais, é de se admirar a originalidade de um tema tão denso.

Você está à procura de um bom drama político de múltiplas camadas? Está pronto para um pouco de choro? Então assista essa série.

Confira Também! Ficha Técnica | Black Earth Rising (Original Netflix)

Gostou da série? Deixe seu comentário!

Na UOL Play você pode assistir aos melhores filmes e séries sob demanda, além de vários canais de TV por assinatura. Tudo isso no mesmo lugar. Gostou? Experimente por 7 dias grátis! Clique e confira!
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"  

 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.