Estreou no último dia 26 de abril a série de terror/drama sobrenatural Chambers. A produção, é dividida em 10 episódios de aproximadamente 40 minutos e possui classificação indicativa de 16 anos.

Sobre a série

Sasha Yazzie é uma garota de família pobre que acaba sofrendo um ataque cardíaco enquanto está com o seu namorado. Nesta mesma noite, Becky Lefevre, uma garota de família abastada, acaba morrendo. Com isso, Sasha consegue uma oportunidade de sobreviver, recebendo o coração de Becky.

Após três meses do trágico dia, Ben Lefevre (pai de Becky) vai até o aviário de Frank (tio de Sasha), para conhecer a garota e convidá-los para um jantar com sua família. Mesmo relutando um pouco, Sasha acaba aceitando o convite e vai com o tio. Lá, ela conheci Nancy (mãe de Becky) e o irmão gêmeo da menina, Elliot. Devido a uma tempestade de areia, tio e sobrinha acabam dormindo na casa e a garota é presenteada com uma bolsa de estudos na Escola Crystal Valley.

Com o passar do tempo, Sasha começa a ficar obcecada tentando descobrir o que realmente aconteceu com Becky. Com esse interesse nutrido em saber da vida da garota, ela começa a ter memórias da vida de Becky e desenvolver as habilidades dela, como por exemplo, na esgrima. Percebendo isso, começa a acreditar que a garota está presa dentro dela.

A partir deste momento, a trama segue por caminhos perversos e perigosos para Sasha e as pessoas ao seu redor. Enquanto isso, as pessoas envolvidas procuram ajudar a libertar de vez as duas garotas.

“Ela me mata aos poucos quando deixo ela vir!”

 

Sobre a temática

A série busca dramatizar uma história de terror sobrenatural. Aproveitando a onda de séries e filmes teen, a plataforma coloca um tema pesado mas com protagonistas jovens e em período escolar.

Em Chambers, são abordados, com menor intensidade, as diferenças econômicas das famílias ricas e pobres e sobre culturas indígenas. Um exemplo dessa diferença social nós podemos perceber ao observar a escola onde Sasha, seu namorado TJ e sua melhor amiga Yvonne estudam e o local onde Elliot, Marnie e Penelope estudam.

Em alguns momentos, a série começa a ficar confusa, com algumas repetições e flashbacks. Na verdade, temos a nítida impressão de que existem duas dimensões nesta história, uma que mostra a vida real e outra onde alguns personagens ficam presos em meio à devaneios e fatos obscuros.

Além disso, podemos perceber referências de filmes de terror durante a passagem dos acontecimentos. Em certo momento, quando Becky entra em uma televisão, logo vem à cabeça o filme “O Chamado”.

É importante destacar que, por mais que não seja uma série tão pesada, é preciso tomar cuidado com possíveis gatilhos, como por exemplo, suicídio. Se você é sensível a temas como suicídio e coisas sobrenaturais, pense bem antes de assistir. Lembrando que ela não é recomendada para menores de 16 anos.

“Eu só quero ser livre!”

Sobre o elenco

Protagonizando a série, Sivan Alyra Rose, interpreta Sasha, desempenhando um papel de uma garota fechada e antipática. Tem boa atuação, apesar de não ganhar a simpatia de quem está assistindo e não chamar a atenção, perdendo muitas vezes o protagonismo para os atores que interpretam os pais de Becky.

Lilliya Reid interpreta Becky. A atriz traz um lado bastante sombrio e perturbado para sua personagem e acerta na dose. Conduz momentos bem interessantes quando está perturbando a vida de Sasha.

Uma Thurman (Pulp Fiction) sem dúvidas é grande destaque e acerto da direção. Com sua bela e comovente atuação, conseguiu se destacar. Ela consegue transmitir a dor de Nancy, uma mãe que luta em acabar com o sofrimento de sua filha e Sasha. Não deixou em momento nenhum o seu lado obscuro desaparecer.

Interpretando Ben, pai de Becky, Tony Goldwyn (Ghost: Do outro lado da vida), divide o destaque com Thurman. Sem dúvidas, os anos de atuação jogaram a favor deles nesta produção. Goldwyn consegue trazer um personagem bastante emblemático e estranho, com mistério e grandes surpresas.

Também estão no elenco os atores: Nicholas Galitzine (Mistério no Bosque), Sarah Mezzanotte (Central Park), Kyanna Simone (Black Lightning), Griffin Powell-Arcand (DreamKeeper) e Marcus LaVoi (Covil de Ladrões).

Cenografia, Fotografia e Figurino

Com direção de Leah Rachel, a série traz inúmeros elementos que podemos observar durante o decorrer dos dez episódios. Começando pela cenografia, onde é evidente o contraste da família de Sasha e a família de Becky. Quando observamos o cenário pobre, vemos casas simples, veículos populares e uma escola tão desgastada, que o campo onde os alunos jogam é de terra. No mundo dos ricos, observamos belas casas e uma escola, com salas bem organizadas e acesso a notebooks.

Quanto à fotografia, vemos uma divisão significativa em três momentos: Quando as cenas estão voltadas para a cidade pobre, as imagens são de tom escuro. Vale destacar também o uso absoluto da cor azul no ambiente interno do aviário de Frank. Em oposição as cores escuras, a cidade rica tem uma fotografia mais clara, viva e que chama a atenção. Quando observamos os momentos de perturbação de Sasha, Becky e Elliot, percebemos o uso de cores fortes, como o vermelho, azul e rosa, trazendo cenas mais tensas e assustadoras.

O figurino segue o padrão normal do que as pessoas utilizam nos dias de hoje. Claro, que a diferença das roupas mais simples e das roupas mais requintadas fica evidente. Também, em certo momento, vemos um pouco do vestuário da cultura indígena descrita no filme.

Já assistiu Chambers? Conte para nós o que achou da série!


Inscreva-se no nosso canal
 
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

3 COMENTÁRIOS

  1. Eu gostei, em alguns momentos eu pensei em parar! Mas fui até o fim e espero que tenha a 2ª temporada!
    De 0 a 5 dou 4,5!

    Este é meu segundo comentário, o primeiro era melhor, mas como a página deu refresh, perdi o que estava escrevendo!

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.