Sempre que um filme protagonizado por Adam Sandler entra em questão, seja em conversas ou críticas, ele divide opiniões. Muitos gostam da maneira que as produções do humorista são conduzidas, mas existem várias pessoas que não gostam do conteúdo.

O filme Click, que estreou em 2006, mescla o humor ácido e muitas vezes pesado, envolvendo piadas com sexo e drogas, com um enredo que caminha para o dramático. Acredite ou não, esta produção pode emocionar quem está assistindo.

Sobre o Enredo

Michael Newman é um arquiteto que almeja uma promoção na empresa em que trabalha. Para conseguir realizar o que deseja, ele trabalha duro, o que faz que não dê muita atenção para sua esposa Donna, os filhos Ben e Samantha e os pais Ted e Trudy.

Cansado de tanto trabalhar, ele se irrita ao não conseguir encontrar o controle remoto para ligar a televisão e sai a noite em busca de um controle universal. Ao chegar em uma loja de departamentos, conhece Morty, um homem que aparentemente trabalha na loja e que lhe dá um controle universal bem especial.

O problema é que este controle tem a função de fazer qualquer coisa, desde abaixar o volume do latido do cachorro, até avançar a vida da pessoa. Buscando evitar momentos chatos, ele utiliza tanto o controle que o objeto acaba controlando a vida de Michael, resultando em inúmeros prejuízos.

Veja Também!  Ficha Técnica | Ad Astra - Rumo às Estrelas (2019)

Sobre a Temática

Ao entendermos um pouco mais sobre o filme, fica visível que a intenção do diretor e do roteirista é criticar quem muitas vezes trabalha tanto que não percebe a vida passar. Michael trabalha com muito afinco pois quer dar uma vida melhor a sua família e poder compartilhar bons momentos com eles, porém ele esquece que o presente está passando e ninguém sabe como será o futuro.

Se existe uma lição que este filme pretende passar, é que devemos pensar no futuro sim, mas sem deixar de viver o presente. Nem sempre uma pessoa tem a oportunidade de ter uma segunda chance, então é importante dar valor a todos os momentos.

Atenção! Este trecho pode conter spoilers.

A pressa em conquistar os sonhos e buscar algo que não se tem certeza se poderá ter, faz com que Michael perca o crescimento dos filhos e o amor de Donna. Alcançar status fez ele se tornar um homem frio, sem amor pelos familiares. Além disso, sua saúde foi abalada por não ter uma alimentação saudável.

Sobre o Elenco e os Personagens

Michael Newman (Adam Sandler) é o protagonista desta história. Casado com Donna (Kate Beckinsale), é pai de Ben e Samantha. Com o desenrolar da história, apenas os atores que interpretaram os filhos do casal são modificados, com o objetivo de evidenciar os três estágios da vida deles (infância, adolescência e vida adulta).

Veja Também!  Ficha Técnica | Playmobil: O Filme (2019)

O elenco principal é muito bom e fez boa atuação. Todos conseguiram diferenciar os vários momentos da vida, como o amadurecimento de Donna e a infelicidade de Michael. Algumas cenas são realmente tocantes, principalmente quando o filme se aproxima do fim.

Vale a pena destacar o trabalho de Christopher Walken como Morty. Com bastante sagacidade, ele consegue trazer um personagem que mesmo não sendo uma pessoa boa, agrada quem está assistindo, pela maneira em que conduz as situações, principalmente com o seu humor na primeira parte do filme.

Direção e Fotografia

Frank Coraci já dirigiu outros filmes protagonizados por Sandler, como Afinado no Amor (1998) Juntos e Misturados (2014)então já era de se esperar que o filme iria ter muitas situações cômicas e até constrangedoras, mas a maneira que o filme trilhou para um grande drama surpreendeu, afinal ninguém espera ver Adam Sandler em um filme triste.

Veja Também!  Jeffrey Wright | Confira os maiores sucessos do ator

A fotografia traz uma imagem escurecida em vários momentos. É importante destacar que após a fase de adolescência de seus filhos, a presença do tom azulado é destaque. Azul também é a cor usada para definir o menu da vida de Michael, onde ele acessa alguns momentos da sua vida.

Cenografia e Figurino

Com cinematografia de Dean Semler e edição de Jeff Gourson, a cenografia do filme apresenta uma casa grande e bonita, além de um escritório, a princípio normal, que após os anos passarem, se torna um lugar repleto de tecnologias que demonstram a evolução causada pelo passar do tempo. Esta tecnologia é mostrada também no hospital em que Michael aparece em determinado momento do filme.

O figurino mescla roupas sociais, utilizadas pelos funcionários da empresa de arquitetura, com roupas comuns utilizadas pelos personagens. Além disso, em certo momento, vemos os personagens utilizando roupas sociais e lindos vestidos, para comemorar um casamento.

Você já assistiu o filme Click? Conta pra gente o que achou!

 

Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.