Após o cancelamento de Luke Cage, Punho de Ferro e Defensores, e o agravamento da crise Marvel-Netflix, chega à plataforma de streaming a terceira temporada de Demolidor, única série, ao lado de Jessica Jones, a não ter sido cancelada. Após uma segunda temporada fraca e o desastre que foi Os Defensores, os produtores da série apostaram em uma fórmula de sucesso comprovado: trazer de volta o Rei do Crime, e acertaram em cheio.

O foco da história está na ascensão de Wilson Fisk (Vincent D’Onofrio), preso por Murdock (Charlie Cox) ao final da primeira temporada. O vilão, que já se mostrava um personagem complexo, é ainda mais desenvolvido, e adiciona camadas de complexidade não só para si, mas para os outros personagens da trama. Como é o caso dos novos personagens introduzidos, o agente do FBI Ray Nadeem (Jay Ali) e o agente Benjamin Pointdexter (Wilson Bethel), ambos profundamente influenciados pelo Rei do Crime. Com destaque à bela introdução e construção de personagem de Ben como Mercenário.

A série se apoia totalmente no antagonista, e isso não é um problema. O modo com que Fisk faz a história se mover é altamente engajante. O público é apresentado a uma situação de real perigo perante o poder desse personagem, que parece imbatível por muitas vezes. Adotou-se uma espécie de narrativa de dispositivo que foi bem sucedida, no geral. No entanto, a série sofre de um problema recorrente nas produções da Netflix, um número exagerado de episódios que torna a experiência menos agradável, contando com várias “barrigas” em meio aos episódios. Além disso a resolução do conflito foi preguiçosa e apressada, o que é uma pena considerando toda a construção narrativa.

Os acenos à primeira temporada vão além do vilão. Já é tradição de Demolidor contar com um plano sequência longo, que nesse caso aparece de uma maneira muito mais ambiciosa. São onze minutos de plano em meio a uma rebelião penitenciária muito bem orquestrados pela direção e coreografado pelos atores envolvidos. O foco retorna ao trio de amigos protagonistas e acrescenta à suas histórias, sem ninjas ou magia oculta, felizmente.

Demolidor se mostra como a salvação da Marvel na Netflix, e o faz através de uma ótima temporada que quase se equipara à de estreia. Vale a pena insistir, por pelo menos mais uma vez, na história de Matt Murdock, Karen Page, Foggy Nelson e, principalmente, Wilson Fisk.

 
Veja Também!  Resenha | Once Upon A Time (5ª Temporada)

Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.