Se você soubesse que Elf: Um Duende Em Nova York, estrelado por Will Ferrell como um humano chamado Buddy que acha que é um elfo e Ed Asner como Papai Noel, você sentiria um desejo urgente de ver este filme?

É fato que todo mundo, à princípio, pensa que o longa-metragem será estranho, estúpido e óbvio. Uma boa parte das produções natalinas que incorporam comédia no enredo possuem efeitos especiais grotescos. Isso quando não acumulam os destroços da festa natalina. Ah, tem também aqueles que nos impõem um romance cansativo envolvendo um aprendizado no final.

Sim, muita gente pensa isso de Elf: Um Duende Em Nova York antes de vê-lo. Mas basta cerca de 10 segundos vendo Will Ferrell com a fantasia de elfo para perceber o quão errado se está.

Veja Também!  Resenha | Celeste e Jesse para Sempre (2012)

Esta é uma daquelas raras comédias de Natal que tem um coração, um cérebro e um senso de humor perverso. O filme é bom! Dirigido por Jon Favreau e escrito por David Berenbaum, começa com um trágico equívoco sobre um Natal de tempos atrás.

Elf: Um Duende Em Nova York tem uma premissa diferente

Enquanto o Papai Noel faz suas rondas, um órfão humano rasteja para o seu saco e, acidentalmente, pega uma carona até o Pólo Norte. Criado como um elfo por Papa Elf (Newhart), ele sabe o que é pela diferença com os outros elfos. Assim, ele decide ir para Nova York e procurar seu pai biológico. Aí tudo vai pelos ares (de um jeito bacana).

Veja Também!  Ficha Técnica | Sedução À Meia-Noite (1994)

O enredo é uma coisa bastante normal, mas há subtramas doces envolvendo o novo irmão mais novo de Buddy, Michael (Daniel Tay) e o romance estranho e sincero de Buddy com a garota da loja de departamentos (Deschanel). Além disso, tem a questão dos negócios inacabados no Polo Norte.

É claro que há uma grande cena envolvendo o confronto de Buddy com a loja de departamentos Santa Claus. Buddy imediatamente aparece como um delator ao dizer: “Você senta em um trono de mentiras!” Ele diz isso para o Papai Noel.

De fato, o mundo todo se tornou cético demais, razão pela qual o Papai Noel está enfrentando uma crise de energia. Seu trenó é movido pela fé, e se pessoas suficientes não acreditam em Papai Noel, ele não pode voar.

Veja Também!  Confira 5 filmes curtos para assistir na Netflix

Isso leva a uma daquelas cenas em que uma máquina voadora (neste caso, curiosamente, o trenó) tenta voar e não parece ser capaz de atingir a velocidade de decolagem. Bem, seria uma coisa terrível se o Papai Noel caísse de lá de cima. Então, Buddy precisa convencer pessoas suficientes a acreditar no Natal.

Deve ser fácil. Ele convence a qualquer um de que este é um bom filme, e isso é um milagre.

 

 

Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.