Enfermeira Exorcista é uma série coreana de drama/fantasia, dirigido por Lee Kyoung-mi e estrelado por Jung Yu-mi e Nam Joo-hyuk. Baseado no livro de Chung Serang, School Nurse Ahn Eun-young (não encontrei o nome em português), estreou na Netflix no dia 25 de setembro e tem classificação de 14 anos.

Enredo

Eun-young trabalha em uma escola como enfermeira e sua tarefa diária não é apenas cuidar da saúde dos alunos, mas também protegê-los de forças malignas que se manifestam como geleias asquerosas e perigosas. Sim, Eun-young tem o dom de ver e falar com os mortos, mas de uma forma bem inusitada: muitas vezes, esses espíritos aparecem em formas gosmentas. Até mesmo a aura de uma pessoa — que ela consegue enxergar, também — se manifesta assim. Com a ajuda de uma espada super colorida e iluminada, ela precisa proteger os alunos e os funcionários de geleias monstruosas e nojentas. 

O roteiro, apesar de ser bem doido e fantasioso demais, é bem escrito. A história é muito bem contada, em todos os aspectos. Personagens muito bem escritos e desenvolvidos, uma trama interessante e bem desenvolvida e uma narrativa fluida e bastante dinâmica. Apesar dos episódios longos (cerca de 50 minutos cada), a série, em momento algum, se torna arrastada ou cansativa, ela sempre tem um bom dinamismo.

Algumas vezes, a narrativa utiliza o recurso do passado, para explicar alguns fatos da protagonista. Consegue prender o espectador com facilidade, tanto por sua trama bem construída, quanto pela narrativa bem desenvolvida

Elenco e Personagens

Os personagens são bem trabalhados, não só os principais. Muitos têm suas tramas mais aprofundadas e podemos conhecê-los bem. Isso é um ponto bem positivo, pois muitas produções acabam deixando os coadjuvantes meio de lado. Em Enfermeira Exorcista isso não acontece e o roteiro torna esses personagens muito interessantes.

O único problema de fato é o sumiço do professor de inglês (Mackenzie), que tinha um papel importante e desapareceu, aparentemente sem explicação, e retornou, episódios depois, de repente. Ele poderia ter sido um pouco mais explorado, porque tem uma trama interessante. As atuações, no geral, são boas, apesar de serem bem exageradas. Algumas vezes, esse exagero passa da conta e não fica bom. Mas, no geral, funciona, porque combina com a série, que é bem exagerada e maluca. 

A protagonista (Ahn Eun-young), interpretada pela já conhecida Jung Yu-mi, é muito bem trabalhada: o público conhece o suficiente sobre seu psicológico, sua vida, seu passado, como esse dom evoluiu e como foi o processo de aceitá-lo e trabalhá-lo. É mostrado ao espectador como e por que Eun-young resolveu usá-lo para ajudar as pessoas. Yu-mi também faz um ótimo trabalho: sua atuação é convincente e ela faz uma bela construção de personagem. A atriz consegue emocionar e causar riso com a mesma intensidade. Fez uma personagem muito interessante e cativante. Sua relação com o amigo morto, Kang-sun, é muito bonita e emociona. 

Hong In-pyo (Nam Joo-hyuk) é professor e neto do fundador da escola. Ele se preocupa bastante com o colégio e os alunos, e tem um campo de energia forte, que é de fundamental importância para ajudar a recuperar a força de Eun-young a cada “batalha”. In-pyo ajuda bastante, também, na investigação acerca da escola e dos problemas que a envolvem. Ele forma uma dupla interessante com a protagonista e os atores têm sintonia. 

Uma personagem que aparece apenas na metade da série, mas que tem uma grande importância, é Baek Hye-min, interpretada por Song Hee-joon. Ela não é exatamente um ser humano, apesar de ser fisicamente. Hye-min chega para salvar a escola de uma infestação de ácaros, porque, pasme, ela come esses aracnídeos. É uma garota super fofa e carismática, bem interpretada por Hee-joon. Com seu jeito comilão e divertido, ela conquista o público. 

Direção e Fotografia

A direção, mesmo fazendo um bom trabalho com os atores, é o ponto mais fraco da série. Os efeitos visuais não são bons e deixam muito a desejar. Apesar disso, ainda funcionam. A produção tem uma montagem bem feita, muito dinâmica, e que deixa o espectador bem interessado. A trilha sonora está bem encaixada com a trama e ajuda no clima de mistério e tensão.

A série tem tons de comédia, drama, fantasia e suspense, todos bem dosados, apesar de cometer alguns exageros, em alguns momentos. Uma cena bem interessante e muito bem feita é a do “surto” coletivo dos alunos, logo no início da produção. Ela foi muito bem dirigida e causa bastante agonia. A fotografia contribui bastante com a atmosfera de suspense, utilizando, quase sempre, tons frios e acinzentados; algumas vezes, azulados, também. Apesar de predominar esse azul, a paleta de cores é bem diversificada, mas sempre em um tom mais frio. O colorido da produção é mais focado nas geleias e na espada de Eun-young.

Cenografia e Figurinos

O cenário mais utilizado é o colégio, principalmente o porão e a enfermaria. As casas de alguns personagens aparecem, também, principalmente a da protagonista. Também há algumas cenas dentro do carro de In-pyo e nas ruas. O figurino é composto, principalmente, pelos uniformes dos alunos. Fora isso, os outros personagens têm roupas bem diversificadas, que mostra um pouco a personalidade de cada um.

E você? Assistiu a Enfermeira Exorcista? O que achou? Deixe o seu comentário!

Veja Também!  Apostando Alto | Red Velvet canta OST para drama popular
Na UOL Play você pode assistir aos melhores filmes e séries sob demanda, além de vários canais de TV por assinatura. Tudo isso no mesmo lugar. Gostou? Experimente por 7 dias grátis! Clique e confira!
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"  

 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.