Chegou à Netflix neste mês de dezembro a comédia Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo, curta-metragem da popular produtora nacional que está conquistando o mundo, com direito à vitória no Emmy.

Confira o trailer antes de conferir a nossa resenha sobre o filme:

Sobre o Enredo

Se você não gosta de sátiras com histórias bíblicas, passe longe: em A Primeira Tentação de Cristo Jesus está voltando de sua viagem de 40 dias pelo deserto para comemorar seu aniversário de 30 anos com a família. Com uma companhia inesperada, a noite fica ainda mais louca quando Maria e José, seus pais, revelam que ele é na verdade o Filho de Deus.

Infelizmente, o filme não tem nem metade da graça que promete. Mais do que engraçadas, a maioria das piadas estão são somente ofensas às figuras bíblicas em questão, com o intuito de irritar os crentes da fé cristã se sobressaindo ao de divertir o público com críticas inteligentes, como já visto em outras produções do Porta dos Fundos.

Veja Também!  Netflix | Confira 12 lançamentos de Fevereiro/2020

Essa é somente decepcionante, e facilmente inferior a de 2018.

Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo

Elenco e Personagens

O elenco é divertido por si, mas os personagens são falhos. O brilho de Gregorio Duvivier no papel de Jesus poderia ter sido muito maior, mas a trama Deus-Maria-José o rouba dos holofotes e o personagem quase se torna secundário.

O destaque positivo fica com Orlando, personagem de Fábio Porchat, que traz uma divertida química com Jesus e permite que a narrativa explore e critique o preconceito com minorias, enquanto ainda se responsabiliza pela maioria das poucas risadas que o A Primeira Tentação de Cristo proporciona.

Ainda na diversidade, outro dos pontos positivos do filme se dá pela presença de deuses de outras culturas, como Buda e Shiva, em uma participação inesperada, mas satisfatória e carismática.

Veja Também!  Onde Assistir | Filme Inimigos Íntimos online

Direção e Fotografia

uma produção de comédia satírica com esse tipo de intencionalidade, todo o resultado do processo de direção e fotografia é proporcional à categoria, sem se comprometer com grandes inovações e revoluções da classe, mas também sem deixar a desejar.

É simples, é prático, é objetivo, e ainda traz uns efeitos especiais que, novamente, cumprem com o que é esperado desse tipo de produção.

Cenografia e Figurino

Entretanto, se tem algo que não dá para criticar é a ambientação e a caracterização. Os espaços são muito bem elaborados e, mesmo pequenos e simples, com inspirações teatrais, aumentam a qualidade visual do filme, tornando-o extremamente convidativo aos olhos.

No quesito figurino, cabelo e maquiagem, todos os profissionais envolvidos merecem grandes palmas: é perceptível a dedicação em dar ao elenco o ar mais natural possível nesta caracterização que chega ao nível de grandes produções inspiradas em contos bíblicos, em um dos pontos mais altos do curta.

Veja Também!  Série animada Ghost in the Shell vai estrear na Netflix

Mas infelizmente um bom apelo visual não torna o filme mais divertido, e A Primeira Tentação de Cristo é entediante.

E você, o que achou do filme? Deixe seu comentário!

 

Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.