Feliz Natal foi inspirado na história verídica de um surto de paz de curta duração nas linhas de frente. Esse longa-metragem lança uma luz fantasticamente tocante nessas cenas cinematográficas das guerras. Ele mostra homens posicionados dramaticamente entre escuridão e luz, esperança e medo.

Situado no inverno de 1914, o filme acontece em uma área desolada de terras agrícolas no leste da França, onde soldados franceses, escoceses e alemães encontram-se presos em um impasse brutal.

O escritor e diretor Christian Carion enfatiza as semelhanças entre amigo e inimigo. Todos eles se apaixonam por suas mães e esposas, todos se irritam com a autoridade. Todos eles também suportam as cargas grotescas colocadas sobre eles.

Veja Também!  Resenha | Homem-Aranha: No Aranhaverso

Feliz Natal é sutil ao trazer um momento de paz em meio à guerra em seu enredo

Mas todos eles gostam de música, o que prova tanto a sua salvação como a sua ruína. A história toda começa com a gaita de fole dos escoceses. Inspirado, um célebre tenor alemão (Benno Furmann) – acompanhado à frente pela sua namorada de ópera (Diane Kruger) junta-se a ele.

Logo, os exércitos opostos – separados por meros metros, afinal – abandonaram suas trincheiras por um armistício não autorizado na véspera de Natal. Eles apertam as mãos, jogam futebol, enterram seus mortos. É a diplomacia musical em ação, um retorno breve e abençoado à normalidade.

Veja Também!  The Batman | Site afirma que Pinguim não será o único vilão do filme

Naturalmente, quando a palavra vaza, a trégua é considerada tudo, menos normal. E é aqui que Feliz Natal assume o caráter dos melhores filmes do gênero.

Um tema regular nesse tipo de produção é a incapacidade da guerra de corrigir os males do homem, ou fornecer justiça. O escritor-diretor Carion olha para o lado judeu-cristão com olhos mais profundos. Feliz Natal consegue captar uma sutileza e beleza em um evento que, tecnicamente, só traz destruição à humanidade.

Por toda sua amizade e caridade natalinas, os homens devem retornar à batalha, e o milagre do Natal pouco faz para alterar o curso da guerra. No final, eles devem decidir se testemunharam sua própria grande ilusão.

Veja Também!  Resenha | Homeland (2ª temporada)
 
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.