Filhos da Esperança é um filme de drama lançado em 22 de setembro de 2006. A direção é assinada por Alfonso Cuarón e seu elenco é composto por Clive Owen, Julianne Moore, Michael Caine, Chiwetel Ejiofor, Clare-Hope Ashitey, Charlie Hunnam, Pam Ferris, Danny Huston, Peter Mullan, entre outros nomes.

Enredo de Filhos da Esperança

Filhos da Esperança se passa em um mundo onde a humanidade se tornou infértil, e é nesse cenário que Theo (Clive Owen), um antigo ativista, vive. Porém, as coisas mudam quando sua ex-mulher, Julian (Julianne Moore), o procura. Com isso, Theo acaba conhecendo Kee (Clare-Hope Ashitey), que engravidou misteriosamente, e com isso ele deve levá-la para um projeto que promete trazer o amanhã de volta.

O ritmo, em boa parte do filme, principalmente no primeiro ato, é bem lento. Contudo, a partir do segundo ato, a obra ganha muito mais agilidade e, devido a sua tensão, prende muito o telespectador no filme.

Elenco e Personagens

O filme parte de uma premissa simples, porém a explora com muito realismo, se isso realmente acontecesse. Além disso, traz à tona problemas que a Europa vive atualmente, como a baixa natalidade e os problemas com os imigrantes. Dessa forma, o filme mostra muito bem a apatia dos europeus com essas questões. E essa apatia é muito bem representada pelo protagonista que, em determinada parte da obra, passa por diversos imigrantes em claro sofrimento e não demonstra nenhuma emoção ao ver aquilo.

O filme traz a famosa “jornada do herói”, que vem sofrendo duras críticas recentemente. No entanto, esse filme é a prova que, se for muito bem pensada e for feita de forma orgânica, ela pode funcionar muito bem. Por isso, a construção e o desenvolvimento focam especificamente no Theo (Clive Owen) e, devido a isso, muitas das perguntas sobre todo aquele mundo ficam sem ser esclarecidas.

Por fim, essa construção e esse desenvolvimento são muito bem feitos. Ademais, os papéis são muito bem performados. Afinal, dá para ver uma mudança grande nas expressões que o próprio protagonista, Clive Owen, faz, indo de um rosto mais duro e frio, para um mais expressivo.

Direção e Fotografia de Filhos da Esperança

A direção é trêmula e possui planos bem longos que, inclusive, são um dos responsáveis do ritmo lento. Um elemento muito presente aqui são os planos sequências (planos onde não há cortes), que, por sua vez, são cenas muito bem dirigidas e que com certeza foram muito difíceis de serem feitas. Isso porque em algumas delas ocorrem muitas coisas em segundo plano enquanto o personagem está em primeiro. A câmera trêmula, os planos longos, e a falta, em algumas cenas, de uma trilha sonora, trazem bastante imersão ao filme. Com isso, ele acaba por parecer um documentário em algumas das vezes.

A fotografia foca bastante em tons bem escuros, que de certa forma trazem uma desesperança ao mundo e a sujeira dele sem a pureza e a felicidade das crianças. Além disso, a iluminação é feita de forma natural, mas o filme usa estruturas como pontes, prédios ou até mesmo reduz a iluminação apenas à janelas para criar sombras e assim gerar um ponto de interesse ou até mesmo um embate de personalidades.

Cenografia e Figurinos

Os cenários possuem diversas informações sobre aquele mundo, por meio de jornais, pichações, etc, além de mostrar a decadência daquele mundo por meio da sujeira. Por fim, os figurinos são simples e não há muito a comentar sobre eles.

E você? O que achou do filme? Conta pra gente nos comentários.

Confira outra resenha aqui


Inscreva-se no nosso canal
 
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.