Filmando Casablanca é um filme biográfico que conta a história do diretor Michael Curtiz durante as gravações de Casablanca, em 1942. A produção escrita e dirigida por Tamas Yvan Topolanszky estreou em 25 de março de 2020 na Netflix.

Sobre o Enredo

Em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial, fica a cargo do diretor húngaro Michael Curtiz a missão de dirigir e tornar o filme Casablanca um sucesso. O problema é que fica difícil dirigir uma história quando o oficial do governo sr. Johnson, resolve interferir e exigir mudanças no filme.

Enquanto a Guerra explode do lado de fora e os ânimos no set estão “a flor da pele”, principalmente quando uma moça chega ao local procurando Curtiz. Kitty é uma linda jovem húngara, filha do primeiro casamento do diretor com a atriz Lucy Doraine.

Renegada pelo pai, ela aparece com o objetivo de se aproximar dele e melhorar o relacionamento. Desde o momento em que chega ao set, ela chama a atenção de Johnson, que assim como todos não sabia de onde ela veio.

Entre o intuito de transmitir os ideais americanos, homenageando seus soldados e transmitir a realidade, trazendo um pouco de esperança, até os momentos finais da gravação de Casablanca, o embate entre o sarcástico e mulherengo Mike com o representante do governo e um dos líderes da Warner Bros. fica evidente.

Sobre a Temática

Este filme mostra como foi o desenrolar das gravações de outro filme: Casablanca, que foi baseado na peça teatral “Everybody Comes To Rick’s”, de Murray Burnett e Joan Alison. Considerado um dos maiores filmes da história americana, a produção de 1942 foi indicado em oito categorias no Oscar e ganhou os prêmios: Melhor Filme (Warner Bros.), Melhor Direção (Michae Curtiz) e Melhor Roteiro Adaptado (Julius J. Epstein, Philip G. Epstein e Howard Koch).

Nos primeiros minutos de “Filmando Casablanca”, conhecemos Curtiz, retratado como um homem mulherengo e que não se importa nem um pouco em trair a esposa. Porém, com o direcionamento do foco para as gravações do filme, este lado do diretor foi esquecido, transformando-o em um homem sarcástico e rude. Além disso, o filme apresenta a relação do diretor com a filha renegada e a preocupação com a irmã, que pode ser morta a qualquer momento.

É importante destacar que o filme faz um bom uso de músicas de fundo, que compondo um todo certamente nos transporta para o passado. O responsável por estas músicas é o artista Gábor Subicz.

Sobre o Elenco e Personagens

O ator Ferenc Lengyel faz um bom trabalho ao interpretar o diretor Michael Curtiz. A boa atuação fica evidente principalmente quando mostra a sagacidade do personagem. Quando está em cena com Evelin Dobos, atriz que faz o papel de Kitty, os dois mostram bastante química.

Dobos consegue chamar a atenção no decorrer do filme, com bons diálogos em húngaro com e muito drama com Lengyel. Responsável por dar a vida a Johnson, Declan Hannigan consegue deixar o público com raiva de seu personagem e torcendo que ele pare de incomodar. Por fim, mostrando grande amizade entre Hal e Curtiz, Scott Alexander Young é convincente em sua atuação.

Também estão no elenco: József GyabronkaNikolett BarabasYan FeldmanRafael Feldman.

Sobre a Direção e Fotografia

Dirigido por Tamas Yvan Topolanszky, o enredo peca um pouco ao não se aprofundar o suficiente nas relações entre os personagens, deixando tudo um pouco superficial. Certos acontecimentos são apenas jogados em cena e logo esquecidos.

A fotografia do filme é feita em preto e branco para ilustrar o fato de ser apresentado no início dos anos 1940, época em que o cinema era feito desta maneira. Em alguns momentos, a câmera se movimenta de forma inteligente e valorizando certas situações, como por exemplo em um jantar que por vários minutos a imagem anda em círculos buscando seus personagens.

Sobre a Cenografia e Figurinos

Uma das melhores partes da composição do filme, a cenografia recriada, que mostra o set, o escritório da Warner e outros locais é simplesmente maravilhosa. Em nenhum momento temos a sensação de estar vendo algo filmado no século XXI. O escritório, as máquinas de escrever, as câmeras, o carro antigo, absolutamente tudo nos transporta para as primeiras décadas do século XX.

O figurino segue o ritmo do cenário, mostrando as roupas sociais masculinas (ternos, suspensórios, etc) e os requintados vestidos das mulheres. Com um bom trabalho de maquiagem, a forma como os penteados das personagens femininas foi apresentada, está entre os acertos da produção.

Gostou do filme Filmando Casablanca? Conta pra gente o que achou!


Inscreva-se no nosso canal
 
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.