Logo após a chegada de um filme teen de ficção científica no catálogo de originais da Netflix, temos outro. Mas a diferença entre eles é tremenda, tanto em proposta, quando em enredo e construção de narrativa. A gente se vê ontem tem um fundo crítico e traz a temática de viagem no tempo, já nosso objeto de análise da vez, Fim do Mundo, trata de uma invasão alienígena e é muito mais leve em seu roteiro.

Com de direção de McG (As Panteras e O Exterminador do Futuro: A Salvação), o filme conta a história de um grupo de adolescentes bem diferentes, mas que são forçados a se unirem por um bem maior. Eles se encontram em um acampamento de verão e, enquanto estão perdidos nas montanhas, uma invasão alienígena começa a acontecer.

Os instrutores do acampamento não pensam duas vezes, a evacuação é feita antes que os meninos cheguem. Dessa forma, eles são deixados para trás e logo têm contato com seu primeiro inimigo. Após uma luta cheia de suspense, eles matam o que parece ser o cachorro desse E.T. Sendo assim, o bicho passa a perseguir os meninos por toda a cidade. Isso porque eles encontram uma astronauta que coloca em suas mãos a chave para a salvação do mundo.

Veja Também!  Resenha | Top Boy (Original Netflix)

Fim do Mundo é de um enredo fácil e divertido

A narrativa construída pelo roteiro de Zack Stentz (As Crônicas de Sarah Connor, Thor, X-Man Primeira Classe) não é muito complicada. A proposta aqui é ser uma uma comédia leve, sem muito viés crítico e cheio de esteriótipos. Por esse motivo, não é possível avaliá-lo sob um ponto de vista mais sério como foi possível com A gente se vê ontem.

Além disso, vale um destaque aqui para Zack por ter deixado os diálogos repletos de referências a outros filmes do gênero, como foi o caso de Star Wars. Mas não foi apenas ele, McG conseguiu também estabelecer algumas através do visual do filme com uma cena que remete a Jurassic World e outra a Stranger Things.

Veja Também!  Cinema | Estreias da Semana (19/09)

O visual do filme não é exatamente de cair o queixo

Fotografia e figurino foram muito bem trabalhados em Fim do Mundo. As imagens são vibrantes e abertas, o que possibilita que o espectador tenha uma experiência completa com relação às cenas. Além disso, as roupas conversam com cada um dos momentos em que os personagens se encontra.

Apesar disso, o trabalho de efeitos visuais não foi exatamente um espetáculo. Talvez por conta de baixo orçamento, o CGI é, na verdade, bem rudimentar. Então, este é outro fator que implica na avaliação do longa.

O elenco não é conhecido, mas faz um bom trabalho

Apesar de alguns rostos facilmente identificáveis por quem acompanha influenciadores na internet, o elenco principal não é muito conhecido. Temos o protagonismo na mão de Jack Gore, Miya Cech, Benjamin Flores Jr. e Alessio Scalzotto.

Veja Também!  Onde Assistir | Animação 4 Contra o Apocalipse online

Os quatro, apesar de não terem um currículo muito impressionante, entregam uma atuação consistente e muito competente dentro dos limites do roteiro. Por fim, o nome que talvez seja mais conhecido entre o elenco seja de Andrew Bachelor, que já atuou em diversos outros filmes de comédia.

Enfim, se você quer assistir a um filme bem inclinado para o lado da comédia, sem muito compromisso com a construção da temática de ficção científica e sem se importar com produções toscas de CGI, Fim do Mundo é o título para você. Já assistiu ao longa? O que você achou dele? Comenta aí embaixo!

 

Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.