Freud é a mais nova série austríaca da Netflix. O show conta com oito episódios e é uma criação de Marvin Kren, Benjamin Hessler e Stefan Brunner. Além disso, ele conta com Robert Finster, Ella Rumpf, Georg Friedrich, Brigitte Kren, entre outros em seu elenco.

Sobre o enredo de Freud

Não espere encontrar uma biografia do pai da psicanálise aqui, tampouco material para estudo caso você seja um estudante de psicologia, e muito menos bagagem para aqueles que apenas são curiosos sobre o assunto. A série não conta a história de Sigmund Freud em sua íntegra. Aqui, temos muito mais uma espécie de adaptação do formato de títulos famosos ultimamente. Isso porque a trama do show gira em torno de mistérios que serão resolvidos pelo médico, um inspetor de polícia e uma vidente. Logo, o elemento sobrenatural também entra em questão.

Então, tudo o que temos aqui é uma versão sobrenatural de O Alienista com a presença de uma figura histórica para atrair espectadores curiosos. Não é que o roteiro de Marvin Kren, Stefan Brunner e Benjamin Hessler seja ruim, muito pelo contrário. A trama é envolvente, prende a atenção do espectador e conduz de forma muito fluida os eventos, sem cair no pecado da paradeira que pode envolver uma obra de drama e suspense. Porém, pode não ser o que muitos estarão procurando ao escolher o título como seu próximo entretenimento.

Elenco e personagens

Infelizmente, é aqui que a série se perde. Apesar de levar seu nome, Freud (Robert Finster) é o espectro menos explorado dentro da série. Afinal, o foco fica todo para a construção do quebra-cabeça com relação aos crimes que estão acontecendo. Isso é um grande defeito, pois torna a série apenas mais um suspense policial com a presença ilustre de uma figura histórica. Falta desenvolvimento do personagem, apesar de não faltar competência do ator, que é muito bom.

Logo, o foco narrativo fica mais para Fleur Salomé (Ella Rumpf) e para o militar Alfred Kiss (Georg Friedrich). Ambos os atores conseguem, também, trabalhar com muita destreza seus personagens.

Direção e fotografia de Freud

 

A direção da série ficou por conta de Marvin Kren. O cineasta conseguiu fazer uma ótima montagem das cenas, trabalhando com a iluminação ao seu favor. Um exemplo é quando Fleur está presa em um estado de transe dentro do que parece ser outra dimensão e vê todos os que estão a sua volta parados na escuridão, ela é a única luz, apesar de fraca. Mais para frente, uma conversa acontece com relação ao subconsciente e é exatamente isso que é descrito. A integração entre direção e roteiro foram muito boas.

Infelizmente, a fotografia peca por trazer uma película muito escura na grande maioria das cenas, o que impossibilita o entendimento do que está sendo transmitido em imagens gravadas no período noturno.

Cenografia e figurinos

Por fim, cenografia e figurino mostram-se impecáveis. Ambos retratam muito bem a época em que a série se passa. Temos vestidos e cabelos cheios de detalhes, além dos cenários incorporarem toda a beleza das casas extravagantes do século 19.

E então, você já assistiu à série? Conta para a gente nos comentários qual a sua opinião!


Inscreva-se no nosso canal
 
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.