Em 19 de julho de 2019, a Netflix lançou a 3ª temporada da série espanhola La Casa de Papel. Depois de meses em que o maior questionamento do público era saber se Berlim morreu ou não, a temporada responde a esta pergunta e nos apresenta novos personagens, flashbacks do passado e um grande plot, deixando a todos com sede de uma 4ª temporada.

Sobre o Enredo

Dois anos se passaram desde o roubo na Casa da Moeda e todos estão curtindo com suas fortunas ao redor do mundo. Tóquio e Rio estão vivendo em um paraíso, uma ilha no Panamá. Apesar de estar com o homem que ama, ela está cansada da mesmice e quer curtir a vida. Deixando o namorado no Panamá, ela vai embora.

Porém, o sossego do grupo acaba quando Rio é capturado pela polícia do Panamá e cai nas mãos de Alicia Sierra, uma delegada que mesmo estando grávida e prestes a dar à luz, não tem problemas em usar a tortura para conseguir o que deseja.

Após descobrir o que aconteceu, Tóquio e o Professor reúnem todo o grupo para planejar o resgate de Rio. Com isso, um antigo plano feito por Berlim e seu amigo Martín entra em cena e mais uma vez eles resolvem lutar contra o sistema.

Enquanto boa parte do grupo faz pessoas reféns, O Professor e Lisboa, nova integrante do grupo, cuidam para que tudo ocorra seguindo os planos, o problema é que Sierra não tem medo de mexer com os sentimentos do grupo, desestabilizando e provocando o caos, com planos e estratégias que certamente deixarão tudo mais difícil para o Professor e o restante do grupo.

Sobre a Temática

Com a aquisição dos direitos da série, La Casa de Papel se tornou um original Netflix. Como esperado, a plataforma de Streaming investiu (e muito) na composição desta nova temporada.

Nas duas primeiras temporadas, fomos apresentados a um grupo de ladrões com um grande plano em mente. Na terceira temporada, as circunstâncias levaram ao evento em questão, em que a vida de um deles vale mais do que dinheiro (mas é claro que isto não impede que eles unam o útil ao agradável, não é mesmo?).

Além do ganho na série em ter a oportunidade de explorar lugares ao redor do mundo, outra grande adição fica por conta da substituta de Raquel, Alicia Sierra. Nesta temporada, presenciamos um crescimento e destaque das personagens femininas, principalmente Nairóbi, que arrasou desde a primeira até a última cena.

Diferente das duas primeiras temporadas, faltou aquele contato maior com os reféns, deixando o público com um pouco de saudades do Arturito. A maneira em que as músicas foram apresentadas nesta temporada foi bem diferente das temporadas anteriores, principalmente quando aparece o grande hino da série “Bella Ciao”.

Sobre o Elenco e Personagens

Novos personagens entraram para a série, agregando adrenalina e tensão. Alicia Sierra é fria, calculista e em certo momento faz o público esquecer que ela está do lado da justiça. A atuação de Najwa Nimri faz jus a sua personagem.

Outro novo integrante é Palermo, uma espécie de Berlim (inclusive os dois são amigos de longa data). Rodrigo de la Serna consegue veracidade ao mostrar um personagem irritante e preconceituoso.

Álvaro Morte, o nosso querido Professor, continua fazendo um ótimo trabalho, mostrando a inteligência do personagem e acrescentando um lado inseguro e descontrolado que não havia antes.

A dupla Nairóbi e Helsinki são os grandes destaques desta temporada. Alba Flores está fantástica em suas cenas, mostrando um lado engraçado, apaixonado e matriarcal. Darko Peric em sua boa atuação mostra que muitas vezes as aparências enganam, transformando um personagem até então com pouco destaque em um dos queridinhos do público.

Sobre a Direção e Fotografia

Desde o início da série, a direção e o enredo de Álex Pina mostrou-se interessante e inteligente. Quando todos achavam que não teria assunto para uma terceira temporada, ele encontrou uma saída de sucesso, embora acrescente algumas repetições.

Com o crescimento do orçamento , a equipe conseguiu sair para outras localidades, viajando pelo mundo. A fotografia é bela e viva, com bons efeitos visuais e movimentos de câmera, mostrando a beleza dos locais utilizados para gravar.

Sobre a Cenografia e Figurinos

A cenografia da terceira temporada é sensacional. Além do Banco da Espanha, foram utilizados cenários em uma ilha no Panamá, Tailândia, Itália, entre outros, em que podemos ver as características destes locais. Além disso, podemos fazer uma menção honrosa ao momento em que o Professor apresenta um vídeo com várias pessoas ao redor do mundo utilizando a máscara de Salvador Dalí (entre os países está o Brasil).

Já que estamos falando na famosa máscara, o “uniforme” do grupo continua presente, com os macacões vermelhos e a máscara do pintor. Porém, outros tipos de figurinos foram utilizados. Nairóbi, Helsinki, Denver e Estocolmo usam looks despojados e coloridos, enquanto o Professor mostra seu lado “zen”, com direito a roupas brancas.

Tóquio aparece com um corte de cabelo diferente, utilizando roupas pretas, inclusive na praia. Alguns monges aparecem com roupas pretas e brancas e por fim, quando o grupo se encontra para planejar o resgate, eles chegam cheios de personalidade com roupas de frio.

E aí, já assistiu a terceira temporada de La Casa de Papel? Conta pra gente o que achou!


Inscreva-se no nosso canal
 
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.