O Natal dos Coopers é um dos filmes natalinos que se assiste quando não temos outras opções disponíveis. Não é tão bonito e envolvente como aparentemente se mostra.

Seria culpa da diretora Jessie Nelson por entregar algo tão tóxico e confuso com um filme completo de “tempestades”, brigas cáusticas e excesso de carinho em um esforço para minar o sentimentalismo? Bom, talvez o roteirista Steven Rogers seja mais culpado.

Há muitos dispositivos banais de narração das histórias em O Natal dos Coopers, além de flashbacks das férias passadas com atores mais jovens que mal se parecem com suas versões adultas. Há muitos personagens para tentar se importar. E há muita confiança na música, tanto as natalinas, como as não, para preencher os espaços emocionais.

Veja Também!  Ficha Técnica | Roma (Original Netflix)

Diane Keaton é a matriarca, tipo Martha Stewart completa. Ela tem um avental festivo e exige mais um feliz encontro com sua família antes de ela e seu marido John Goodman anunciarem que estão se separando depois de 40 anos. O que os força a se separar? Keaton está muito envolvida com a vida de seus filhos adultos. Goodman quer finalmente fazer sua viagem dos sonho há muito adiada para a África, com ou sem ela.

O Natal dos Coopers tem muitas falhas que o atrapalham

Há uma longa lista de lapsos maliciosos e cenas sem muita lógica, antes de chegarmos ao temível banquete. É aí onde todos dizem a coisa errada, ou compartilham revelações desagradáveis. Isso ​​até que alguém caia de bruços na tigela cheia de purê de batatas.

Veja Também!  Resenha | Titans

Se há algum motivo para assistir a todas essas travessuras em O Natal dos Coopers, é o relacionamento improvisado que Wilde, a filha. Ela inventa isso para impressionar seus pais com um soldado prestes a ser condecorado. Há algo triste e autêntico em sua falta de conexão com os outros e em como o militar é capaz de quebrar suas defesas.

Pelo menos, O Natal dos Coopers tem a coragem de mencionar o tema da fé em um filme tecnicamente tradicional. Mas perde a maioria desses pontos com sua escolha estranha de transformar bonecos de neve em um coro natalino.

Esse, não é um filme em que se pode destacar muitos pontos positivos, infelizmente.

Veja Também!  Supercine | Globo exibe o filme '(Des)Encontro Perfeito' - (15/12)
 
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here