O Poderoso Chefão 1 é o primeiro de uma sequência de três filmes produzidos pelo diretor Francis Ford Coppola. Esse longa estreou no Brasil em 1972 e recebeu Oscars. Com 180 minutos de duração, o suspense recebeu classificação indicativa de 14 anos. 

Sobre o Enredo 

O enredo é baseado no romance homônimo de Mario Puzo. O filme se passa nos anos do pós guerra. A trama se inicia com um casamento da Família Corleone, a maior família de mafiosos de toda a cidade de Nova Iorque. 

Don Vito Corleone (Marlon Brando) é o atual chefe dessa máfia. Em um dia próximo ao natal, ele sofre um atentado de uma gangue inimiga, que não o matamas o deixa extremamente fraco. Assim, a chefia passa para seu filho mais velho Sonny (James Caan) que, ao iniciar uma guerra entre as máfias, é assassinado. 

Então, Michael Corleone (Al Pacino), o filho mais novo de Vito, retorna para Nova Iorque da sua viagem para a Itália e assume o comando da família. Ele irá buscar eliminar os traidores da família e realizar um acordo de paz entre as máfias.  

A partir daí, a trama se desenrola no dia a dia da família Corleone. Qual será o desfecho da máfia mais poderosa da cidade? 

Elenco e Personagens 

Coppola faz, com o auxílio de Puzo, as melhores escolhas possíveis para compor o seu elenco. 

O filme lança Al Pacino, que até agora era desconhecido, nas telas no cinema. Ele realiza aqui uma das suas interpretações mais intensas, profundas e carismáticas. O ator consegue transmitir as emoções de seu personagem até mesmo com um mover dos olhos. 

E se Don Vito Corleone é uma figura que se tornou parte de nossa imaginação coletiva, o mérito deve ser atribuído em grande parte ao seu intérprete insubstituível, Marlon Brando.  

A sua atuação em O Poderoso Chefão lhe rendeu o Oscar de melhor ator. Brando sabe como trabalhar todas as emoções e os movimentos de seu protagonista, como um verdadeiro chefe da máfia faria. 

Direção e Fotografia

Com certeza adaptar um romance tão famoso como o de Puzo não foi uma tarefa fácil. Mas Coppola consegue, aqui, realizar as escolhas necessárias para construir uma narrativa épica verdadeiramente eficaz. 

O objetivo do diretor é mostrar a família mafiosa como uma família normal, que possui os seus dramas cotidianos assim como qualquer outra. Em nenhum momento a direção busca personificar o mal em Don Corleone, mas sim mostrar que o homem é fruto de um contexto conturbado, o do final da Segunda Guerra Mundial. 

A trilha sonora de Nino Rota associada ao excelente trabalho de fotografia do filme criam uma atmosfera de suspense e tensão emocional que perdura até o final do filme 

A câmera busca focar nas expressões dos personagens de forma a criar um personagem que desmitifica o esteriótipo que temos do mafioso. 

Cenografia e Figurinos 

A escolha dos cenários contribui para criar a atmosfera de tragédia do filme.  

A cenografia alterna seu trabalho entre os lugares mais escuros e acinzentados quando temos a morte de algum personagem traidor da família, por exemplo, e cenários de cores mais vivas e claras nos momentos de serenidade, como a primeira cena do filme. 

Os figurinos foram escolhidos para caracterizar os personagens como “verdadeiros mafiosos”, recorrendo ao esteriótipo que todas as pessoas têm do que seria a máfia. Os personagens são muito bem caracterizados. 

O que achou do filme? Conte pra gente nos comentários! 


Inscreva-se no nosso canal
 
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.