Atenção, esta resenha contém spoilers da primeira e segunda temporada de On My Block.

On My Block é uma série original da Netflix lançada em 2018 que trata de assuntos sobre a adolescência, amadurecimento, primeiros amores, entre outros problemas encontrados nessa idade. Mas esta obra em específico não cai na mesmice de outros projetos semelhantes: ela fala sobre jovens estado-unidenses que moram nos bairros perigosos do país, jovens negros e latinos.

Sobre o enredo de On My Block

A terceira temporada inicia-se exatamente onde a segunda terminou: com o sequestro do grupo de quatro amigos, Monse (Sierra Capri), Cesar (Diego Tinoco), Jamal (Brett Gray) e Ruby (Jason Genao). Logo descobrimos onde o quarteto vai parar: na casa de Cuchillos (Ada Luz Pla), a herdeira dos Santos.

A mulher agradece aos meninos por terem conseguido se livrar dos Profetas, mas lhes dá uma nova missão: achar seu grande amor, Lil’ Ricky. Isso porque ela acredita que ele esteja vivo e quer que as crianças o encontrem. A partir daí, toda a temporada se desenvolve em cima deste drama. Mas não é só isso, ainda temos os arcos individuais de cada personagem acontecendo. Os exemplos são a crise no casamento dos pais de Ruby, as novas experiências de Jamal, a mãe de Monse e uma nova pessoa que entra na vida de Cesar.

O roteiro de Eddie GonzalezJeremy HaftLauren Iungerich consegue unir todos os arcos junto ao principal e não se perder no desenvolvimento deles. Além disso, a série conseguiu manter o mesmo ritmo de narração, entregando um final surpreendente e conseguindo manter a atenção do espectador presa à história. O único problema é que essa conclusão do arco geral foi feita de maneira um tanto quanto superficial e deixa a sensação de que falta algo.

Elenco e personagens

O elenco regular ganhou Jessica Marie Garcia para seu time e foi uma adição em tanto. Todos os atores mantiveram o bom nível de atuação, entregando papéis consistentes e condizentes com o que foi construído na história. Um bom exemplo é Ruby, que, apesar de ter se recuperado da morte de Olivia, não é mais o mesmo. Não há destaques, todos conseguiram trazer o mesmo nível de excelência e importância para a história.

Direção e fotografia de On My Block

A direção fica por conta de um time bem grande, mas também passa pelas mãos de uma de seus criadores, Lauren Iungerich. A profissional, e todo o restante do time, permaneceu com o mesmo estilo de direção dos outros anos, trazendo um enfoque muito grande no elenco principal, posicionando estes atores de forma a serem o centro da cena, o que remete muito ao tema principal, que é a amizade deles. Além disso, a fotografia segue trabalhando com uma película simples, sem muitos efeitos, prezando pelos tons naturais de cada cena.

Cenografia e figurinos

 

Cenografia e figurinos continuam explicitando a realidade das crianças e do local onde vivem e o quanto isso contrasta com outras realidades. Os rapazes das gangues utilizam roupas largas, camisetas brancas, bermudas e meias, enquanto Jamal, que já tem um poder financeiro maior tem roupas mais caras, mas nada comparado aos moradores de locais mais caros.

O mesmo acontece com a cenografia, a casa de Cuchillos em contraste com a casa dos Diaz mostra o quão cruel a hierarquia das gangues é. Isso porque ela deixa algumas pessoas muito ricas e outras muito pobres.

E então, o que você achou da nova temporada de On My Block? Deixe sua opinião nos comentários!


Inscreva-se no nosso canal
 
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.