Sociedade dos Poetas Mortos é um longa-metragem produzido pelo diretor Peter Weir em 1989. Muito conhecido por sua mensagem principal (carpe diem), o filme foi recebeu indicações ao Oscaroutros prêmios importantes. Sua classificação indicativa é de 12 anos e possui 140 minutos de duração. 

Sobre o Enredo 

O clima severo e violento que paira no internato masculino Welton é perturbado com a transferência de um professor de literatura, John Keating (Robin Williams), que possui uma abordagem educacional não convencional, longe do modelo excessivamente rígido com o qual os alunos estão há muito tempo acostumados.  

O professor influencia particularmente um grupo de seus alunos que o estima tanto a ponto de recriar a seita de poetas extintos (daí o título “Sociedade dos Poetas Mortos”), ou seja, um grupo que assistiu Keating com seus colegas quando ele era estudante, uma espécie de cenáculo em que eram lidos poemas de autores famosos e outros não publicados dos membros do grupo.

Com o desenrolar das aulas, com o estudo da poesia e com o amadurecimento de suas paixões, os jovens protagonistas finalmente poderão amadurecer e entender qual caminho devem seguir para se aproximar da tão desejada felicidade. 

Elenco e Personagens 

A mensagem que o filme busca passar é bem sucedida graças à atuação de Robin Williams que, identificando-se com o personagem do professor John Keating, personifica o papel e impede que o longa se torne somente um retrato simples e óbvio da adolescência. 

Ao deixar sua energia envolver e mover o espectador, o ator brilha como um diamante entre os cristais e, assim, se transforma em um arquiteto de emoções único e brilhante. 

Além da grande performance de Williams, o filme se torna uma referência em seu gênero também devido a atuação de uma série de jovens artistas, incluindo Ethan Hawke como Todd, o aluno mais tímido da turma, que é o primeiro a pisar em sua mesa para mostrar ao professor Keating que o pouco tempo que passaram juntos não foi em vão. 

Direção e Fotografia 

Peter Weir e sua equipe realizam um excelente trabalho. O diretor conseguiu conduzir a trama de modo a mostrar os anseios e as angústias comuns a grande maioria dos adolescentes de uma forma excepcional, não caindo, em nenhum momento, em armadilhas que o tornariam mais um banal. 

Weir, com seu trabalho, fez com que muitas cenas do filme se tornassem mundialmente conhecidas na história do cinema, como as falas insistentes do professor “Oh capitainmy captain” e “”Carpe Diem”. 

Cenografia e Figurinos 

Tom Schulman, responsável pela cenografia, constrói de forma perfeita o cenário de uma escola rígida e tradicional. 

Os figurinos dos personagens também correspondem as expectativas, construindo a visão que todos temos do esteriótipo de um professor e seus alunos. 

O que achou do filme “Sociedade dos Poetas Mortos”? Conte pra gente nos comentários! 


Inscreva-se no nosso canal
 
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.