Uma sequencia que mostra o lavar das mãos, o escovar de cabelo. De início já entendemos que esse personagem é compulsivo. Então vem flashbacks com o garoto “esquisito” sendo espancado. O barulho da vida moderna através de seus ouvidos; o borrão do ritmo urbano através de seus olhos. É assim que começa The Good Doctor.

A série traz uma mensagem bonita e, por vezes, cruel, além de ter um elenco matador. O jovem médico Shaun Murphy (Freddie Highmore, de Bates Motel) está a caminho de uma nova vida em uma cidade que certamente testará seus sentidos autistas. E o mentor médico Aaron Glassman (Richard Schiff) está determinado a garantir que o sábio desafiado tenha todas as oportunidades de se ajudar. E, não por acaso, para nos ajudar.

Veja Também!  Resenha | Obsessão Secreta (Original Netflix)

Isso, é claro, requer céticos contrários (Hill Harper e Nicholas Gonzalez como médicos que duvidam). E novos adeptos (Antonia Thomas e Chuku Modu). Sem mencionar a burocracia do hospital (Tamlyn Tomita e Jessica Preston).

Temos os procedimentos de emergência necessários em locais estranhos, e confrontos com a mesa cirúrgica. Vamos ver as boas andanças e falatórios nos grandes corredores de vidro. E não poderia ser diferente por se tratar de uma série que se passa em um hospital em 2017.

The Good Doctor é muito mais do que uma série admirável

Quem estabeleceu esse modelo? O criador de “House”, David Shore, que por acaso é o criador de The Good Doctor. Isso é novamente claro a partir de todos os gráficos na tela destinados a visualizar as explosões de palavras que Shaun ouve, e as veias e órgãos esquadrinhados por sua mente.

Veja Também!  Orange Is The New Black | 13 episódios para assistir antes da temporada final

Talvez os pontos mais fortes sejam a emoção que move a história para frente. O rosto e a atitude de Highmore. A fé e o peso moral de Schiff. A curiosidade e generosidade de Thomas. Isso a diferencia de “House”. Embora o sucesso da Fox de 2004 tenha sido drasticamente atraente, não era consideravelmente “fofinho”, construído em torno da liderança misantrópica de Hugh Laurie.

The Good Doctor visa além de ser meramente admirável. A série quer que compartilhemos seu desejo sincero de “dar esperança às pessoas com limitações”. O personagem de Schiff coloca um ponto óbvio sobre isso.

Em suma, se você gosta de um drama que fala sobre o coração e a esperança, este pode muito bem ser uma ótima série para assistir.

Veja Também!  Resenha | O Rei Leão (2019)
 

Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.