Apesar da temática infantil, dos brinquedos e da parte cômica, Toy Story 4 trabalha em nós o mesmo que todos os outros filmes da Pixar: assuntos nada infantis. Neste longa em específico, temos a crise existencial, a ansiedade e a depressão sendo evidenciadas através do novo brinquedo de Bonnie, Garfinho, e de outros personagens que apresentam-se, em um primeiro momento, como vilões. Mas, de certa forma, são todos apenas personificações de sentimentos que muitas pessoas possuem e não sabem como lidar com eles.

O filme traz esse novo brinquedo, Garfinho, uma criação de Bonnie. Obra esta feita em um momento em que a garota se sentia totalmente sozinha, desajustada. E isso é exatamente o que o longa irá trabalhar ao longo de sua narrativa, a construção do sentimento de pertencimento do personagem. “Eu não deixo nenhum brinquedo para trás!”, é a fala de Woody, e ele realmente não deixa.

Veja Também!  Filme de Scooby-Doo ganha primeiro trailer, confira!

Woody é o grande herói de Toy Story 4

Cinema | Estreias da Semana (20/06)

Inclusive, o papel do xerife é exatamente esse, o de ajudar Garfinho e os outros brinquedos a se reajustarem. Ele, mais do que ninguém, sabe o que é amar e ser amado por “seus” humanos. Woody sabe como ajudá-los e não desiste um minuto sequer. Além disso, a lealdade e capacidade de sobrevivência de todos os brinquedos são colocadas em jogo por conta das separações que eles sofrem.

Não, Toy Story 4 não é só um filme sobre como uma garotinha e seus brinquedos se aventuram durante uma viagem em família. E isso é o mais incrível, a forma como a narrativa do roteiro de Andrew Stanton e Stephany Folsom nos entrega tanta intensidade através de cenas tão simples. É a forma de ambos a ensinarem a todos, não só crianças, o que é amor e o que é amizade e como é possível salvar vidas com tais sentimentos.

Veja Também!  Ficha Técnica | Shazam (2019)

E também é preciso dar os devidos créditos por tal suavização para o diretor Josh Cooley. Grande parte da tradução destes sentimentos é feita por parte dele. E quem viu o filme sabe como tudo é tão leve e tão mascarado que mal é percebido até que se pare para refletir.

Os aspectos estéticos do filme impressionam

O trabalho que foi feito com os gráficos, a forma como a textura dos cabelos, o brilho dos rostos, os pelos das roupas, tudo foi incrível. Certamente, não há dúvidas de que a evolução tecnológica nesse ponto foi um grande ganho para as animações. Agora, vemos muito mais realismo em cada detalhe e isso sem dúvidas encanta. Além disso, é legal comentar sobre a forma como os colais foram representados. Um exemplo é o encontro de Garfinho com Gabby Gabby. A transmissão de como a energia do filme mudou naquele momento.

Veja Também!  Resenha | Click (2006)

Enfim, não há muito o que comentar sem destrinchar completamente o que cada cena e cada personagem representa. Mas Toy Story 4 é o tipo de filme que precisa ser visto e sentido. E também é um pedido de socorro, não do diretor ou dos roteiristas, mas uma espécie de espelho. Isso porque ele representa a forma como uma sociedade como um todo está se comportando, mas a questão é que ele traz a solução. Então sim, sem dúvidas é um filme que vale a pena ser visto.

 

Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.