Apesar de ainda estarmos no mês de novembro, a Netflix já começou a divulgar suas atrações de natal. Protagonizado por Vanessa Hudgens (que ano passado estrelou o filme A Princesa e a Plebeia), Um Passado de Presente estreou em 21 de novembro de 2019.

Sobre o Enredo

Em 1334, na Inglaterra, o cavaleiro Sir Cole encontra uma senhora, que parece uma bruxa, que diz ao rapaz que ele deve cumprir uma missão em um lugar distante, para depois voltar para casa. Desta maneira, Cole é enviado a Ohio, no ano de 2019.

Em 2019, Brooke é uma professora que recentemente terminou um namoro. Por isso, está desacreditada do amor verdadeiro. Após levar sua sobrinha Claire para tirar uma foto com o Papai Noel, ela esbarra com o rapaz, vestido com as roupas que usava em 1334.

Depois de entregar a sobrinha para a irmã, ela segue com seu carro em direção a sua casa. Por estar nevando muito, ela acaba atropelando Cole. Após perceber a maneira estranha que ele age, acredita que o acidente fez que ele perdesse a memória, então decide oferecer ao homem um quarto enquanto não “volta ao normal”.

Por mais que o cavaleiro fale inúmeras vezes que veio de um passado muito distante e mostrando surpresa ao ver “as novas tecnologias”, ela não se importa muito com isso. Com o passar dos dias, até o ajuda a tentar encontrar sua missão em 2019. Com a convivência, ela percebe que talvez príncipes encantados existam.

Sobre a Temática

O Natal está chegando e a Netflix já está entregando ao público suas produções natalinas. Nesta comédia romântica, somos apresentados a uma história que envolve viagem no tempo, Papai e Mamãe Noel e o famoso visco, que sempre que aparece em produções americanas, quer dizer que um casal deve se beijar. Fofo e com alguns toques engraçados, o filme nos mostra a história de Brooke e Cole.

A produção possuí todas as características dos filmes natalinos estrangeiros: neve (muita neve), enfeites e luzes de natal (muitas luzes) e uma história clichê para aquecer o coração de quem está assistindo.

Algumas dúvidas podem surgir na cabeça de quem está assistindo: “Como a personagem leva um completo desconhecido para a sua casa?”, “Como uma pessoa que veio de um passado distante não ficou desesperada por estar em um lugar com tecnologias que até então eram desconhecidas pelo homem?” e por fim, “Por que ele precisou ir para 2019 para encontrar sua missão?”.

Pois bem, estamos falando de um filme de fantasia em que um cavaleiro viaja milhares de anos, não tem como encontrar um sentido, é apenas um filme estilo Disney, que apresenta acontecimentos impossíveis, mas apesar disso, gostamos de assistir pois nos passam mensagens positivas, que acalentam o coração.

“SÓ PORQUE VOCÊ NÃO PODE EXPLICAR ALGO, NÃO SIGNIFICA QUE NÃO POSSA ACONTECER.” – BROOKE

Sobre o Elenco e Personagens

Como já era de se esperar, Vanessa Hudgens tem excelente atuação, mostrando que consegue conduzir o filme de maneira que o público não se cansa de assistir. Sua personagem é bondosa e doce, o que cativa quem está assistindo.

Fica evidente que a química entre Vanessa e Josh Whitehouse deixa a desejar, porém, eles conseguem contornar bem a situação. Seja pelo carisma e imponência de Hudgens ou os momentos de graça de Whitehouse, conseguimos ter uma boa distração nestes 92 minutos de filme.

A mulher misteriosa/bruxa vivida por Ella Kenion traz mistério, embora não fique claro o motivo que leva ela a ser assim (detalhe: nas cenas finais, após os primeiros créditos, fica ainda mais confuso o que ela representa neste filme). Outra personagem que tem papel importante é Claire, sobrinha de Brooke. Embora não seja tão expressiva, a atuação de Isabelle Franca é boa.

Direção e Fotografia

O filme dirigido por Monika Mitchell (que já dirigiu vários filmes natalinos), escrito por Cara J. Russell e direção de fotografia de Greg Gardiner, apresenta um roteiro pouco elaborado, visto que poucas coisas acontecem no filme. Além disso, a produção não apresenta grandes expectativas, visto que em momento nenhum nos deparamos com momentos de conflitos.

Outro ponto a destacar envolvendo a direção e roteirização da produção, diz respeito a pouca aprofundação da vida dos personagens. A introdução do ex-namorado de Brooke foi mal utilizada, pois poderia ter sido um ponto de conflito para criar um clímax no filme. Embora tenha vários defeitos, para uma produção que tem como objetivo distrair e preparar o público para as festas de final de ano, o filme cumpre sua missão. Por fim, vale a pena destacar que houveram menções a algumas produções da Netflix, principalmente quando ele assiste TV.

A fotografia apresentada evidencia bem o período em que o enredo é desenvolvido. A neve, característica marcante quando falamos em natal nos Estados Unidos, aparece em todos os momentos. A imagem não tem uma luz tão viva, devido as cores claras utilizadas, porém não significa que a imagem não seja de qualidade. Com a enorme quantidade de luzes de natal, temos um contraste interessante entre o branco da neve e o colorido dos enfeites.

Cenografia e Figurino

A cenografia apresenta poucos locais, porém podemos perceber o bom trabalho na construção da Inglaterra de 1334, em que vemos um lindo castelo, além da floresta. Entre os elementos cenográficos deste período temos os cavalos, os moradores daquele local e a presença de bandeiras vermelhas.

A cenografia de 2019 é composta por muitos elementos que remetem ao natal, com ampla decoração, em que vemos as casas típicas americanas repletas de luzes e adereços. No local em que as crianças vão visitar o Papai Noel, o cenário que mostra a chegada do natal também é evidente. Fugindo um pouco deste momento, vemos logo nos primeiros minutos, uma sala de aula tipicamente americana.

Podemos dividir o figurino em dois momentos, o primeiro, caracterizado pelas roupas típicas dos cavaleiros e da sociedade da época, em que os homens utilizam armaduras e as mulheres vestidos de época, evidenciando o bom trabalho feito pelos responsáveis por este setor do filme.

O segundo momento gira em torno do momento atual, em que podemos ver as roupas utilizadas pelo Papai Noel, que não poderiam faltar em um filme de Natal, as roupas quentes, que evidenciam o inverno e a presença de cores vermelhas e verdes, justamente para remeter a época do ano em que o filme se passa.

Nesta imagem é possível perceber a diferença do figurino de um cavaleiro do passado e uma mulher do presente.

Já assistiu Um Passado de Presente? Conta pra gente o que achou!


Inscreva-se no nosso canal
 
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.