Vidas ao Vento (風立ちぬ, Kaze Tachinu), escrito e dirigido por Hayao Miyazaki, foi um filme japonês de animação lançado em 2013 nos cinemas do país pelo Studio Ghibli.

Enredo

Inspirado em um mangá homônimo de Hayao Miyazaki, a história é uma biografia ficcionalizada do engenheiro Jiro Horikoshi, acompanhando-o desde sua juventude ao auge de sua vida profissional durante a Segunda Guerra Mundial, sem deixar de lado o romance com sua esposa.

Na trama, o jovem Jiro sonhava em ser piloto de avião, mas ele é míope e sabe que, por isso, nunca conseguirá. Entretanto, não deixa o mundo da aviação de lado e desde cedo estuda para se tornar engenheiro, na vida adulta construindo projetos para o Império do Japão durante a guerra. Enquanto isso, no ramo emocional, tenta fazer o possível para ficar ao lado de sua amada Nahoko, que tem tuberculose.

Vidas ao Vento (2013)

A história é bastante dramática, mas a presença de temas como a Segunda Guerra Mundial e a presença onírica de Giovanni Caproni, um engenheiro aeronáutico italiano, ajudam a dar um pouco mais de dinamicidade à narrativa.

Personagens e dubladores

Conhecer um pouco mais sobre a vida de Jiro Horikoshi pode ajudar a entender melhor as ambições do personagem: ele foi o criador do Mitsubishi A6M Zero, o melhor caça da Segunda Guerra Mundial e que serviu no ataque ao Pearl Harbor, em 1941. Usados em missões suicidas, ficaram conhecidos no Ocidente como “kamikazes”.

Vidas ao Vento (2013)

Jiro, ao menos no filme, é descrito como um homem com alma de artista, sempre sonhador e ambicioso, mas algumas de suas atitudes (principalmente no campo amoroso) podem dá-lo uma imagem egoísta.

Nahoko, entretanto, não foi inspirada na vida real: a personagem é fictícia, criada por Miyazaki para fins dramáticos à narrativa. Ela é baseada em Setsuko, personagem da novela japonesa The Wind Has Risen. Sem muita personalidade, é o tipo triste de personagem feminina presente somente para enaltecer os feitos do protagonista masculino.

Vidas ao Vento (2013)

As vozes originais são de Hideaki Anno, diretor de Neon Geneses Evangelion, e Miori Takimoto, ex-cantora idol que integrou o grupo Sweets em 2003, ainda sob o nome artístico de Miori, somente.

Direção e Técnicas de Animação

Vidas ao Vento marca o retorno de Hayao Miyazaki como diretor solo desde Ponyo: Uma Amizade que Veio do Mar, lançado em 2008, mesmo ano em que começou a ter as ideias para esta nova produção.

Ilustrou a vida de Jiro Horikoshi publicados em mangá entre 2009 e 2010 pela revista mensal Model Graphix, usando o nome The Wind Has Risen (風立ちぬ), emprestado de um romance de Tatsuo Hori, que por sua vez criou uma protagonista com tuberculosa à imagem de sua própria noiva, Ayako Yano.

Miyazaki queria fazer Ponyo 2, mas acabou sendo convencido pelo produtor Toshio Suzuki a adaptar o mangá em um filme. Inicialmente a proposta foi rejeitada, pois o mangá era apenas um hobby para si, além de acreditar que os temas não eram próprios para crianças, público-alvo do estúdio — mudando de ideia somente após um integrante da equipe dizer que “as crianças deveriam ser expostas a assuntos com os quais não estão familiarizados”.

E ainda bem que ele foi convencido: Vidas ao Vento pode não ser o melhor filme do estúdio, mas como todo trabalho da Ghibli apresenta ótima consistência em suas animações, que sempre entregam as mais belas paisagens, isso sem contar as narrativas de grande sentimentalismo.

De fato não é uma obra com muito apelo infantil, podendo ser mais cativante aos olhos de adultos apaixonados por ficção histórica. A quem quiser assistir, a era do streaming deixa tudo mais fácil, com Vidas ao Vento disponível na Netflix.

Já viu o filme? Conta pra gente o que achou!


Inscreva-se no nosso canal
 
Siga o Entreter-se também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.